Author Archives: Julio Cesar Fausto

Julio Cesar Fausto

About Julio Cesar Fausto

Julio Cesar Fausto, é o fundador do Evoluinfo. Organize-se financeiramente dando os primeiros passos rumo à riqueza. Orientação para pessoas que estão buscando se organizar financeiramente para iniciar a construção de riqueza.

Orçamento Doméstico – Entenda a Importância de Controlá-lo Observando o Endividamento das Famílias Brasileiras

Os Números Não Mentem

As pesquisas mostram que ano após ano o endividamento das famílias brasileiras vem crescendo. Este ano, o endividamento bateu recorde e chegou à casa dos 45%. Veja no gráfico abaixo a evolução deste percentual desde 2005.

Endividamento das Famílias Brasileiras de 2005 a 2013

 

Porém, é preciso saber interpretá-los!

Para saber que conclusão tirar do gráfico acima, é preciso entender um pouco melhor quais são os fatores que o estão influenciando. Para que você possa compreender de forma fácil estes fatores, preparei um infográfico que esclarece um pouco esta questão.

EndividamentoFamiliar2013

 

Links do infográfico:

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Uma historia para refletir durante a semana: Os verdadeiros artistas lançam!

Este post começa com uma breve história retirada do livro: “Steve Jobs by Walter Isaacson”, um livro que tem o seu valor. O final do post fica com você leitor. Reflita e tire suas próprias conclusões.

Durante a década de 1980, a batalha para alcançar a liderança nas vendas de computadores pessoais estava centrada em dois players principais, a Apple e a IBM sendo que esta última estava ganhando a batalha.

…foi capa da revista Business Week. Manchete: “Computadores pessoais: e o vencedor é… a IBM”. A reportagem detalhava o crescimento do PC da empresa. “A batalha pelo domínio do mercado já terminou”, declarava a revista. “Numa escalada fulminante, a IBM capturou mais de 26% do mercado em dois anos, e espera-se que responda por metade do mercado mundial em 1985. Outros 25% do mercado estarão operando máquinas compatíveis com a da IBM”

Esse cenário estava colocando ainda mais pressão sobre a equipe que estava para lançar o Macintosh, cujo lançamento estava previsto para janeiro de 1984.

Entre os obstáculos que estavam ameaçando o lançamento no prazo previsto, uma falha no programa que iria compor o sistema do Macintosh foi identificada uma semana antes do lançamento previsto para o dia 16 de janeiro e iria tomar mais duas semanas para ser corrigida. Jobs estava em Manhattan preparando-se para o lançamento do computador e através de uma vídeo-conferência recebeu a notícia da situação do software e a proposta de lançar o sistema com uma etiqueta “Demo” que seria substituída assim que a falha fosse corrigida.

Jobs não ficou bravo. Pelo contrário, falou em tom impassível e controlado. Disse que eles (os engenheiros) eram realmente ótimos. E tão ótimos, na verdade, que ele sabia que iriam deixar tudo pronto. “Não existe hipótese de atrasarmos”, declarou. Houve um engasgo coletivo na sala do prédio da Bandley. “Vocês estão trabalhando nisso já faz meses, duas semanas a mais não vão fazer muita diferença. Também dá para terminarem logo. Vou lançar o código em uma semana a contar de segunda-feira, com os nome de vocês nele”

Adivinhem qual foi o resultado? O Mac foi lançado no prazo previsto e com o software sem os problemas que haviam sido detectados, ou seja, os engenheiros realmente conseguiram fazer o que achavam que era impossível fazer.

Tire suas próprias conclusões, e quando achar que algo é impossível ou achar que alguém não vai conseguir fazer a tempo o que você solicitar, pense na forma como Jobs conduziu a situação.

Ficou curioso? Recomendo que leia o livro, é muito interessante!

Livraria Saraiva: steve-jobs-a-biografia

Submarino: steve-jobs-a-biografia

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como me livrei dos SPAM’s no meu blog!

Uma das piores coisas que eu já fiz neste blog foi ter me cadastrado em um evento chamado “blog action day” que basicamente lançava um tema sobre o qual todos os blogs cadastrados deveriam escrever um post a respeito em um determinado horário e data a fim de fazer com que este tema tivesse grande representatividade e força na internet naquele momento. Geralmente os temas eram bastante relevantes como questões sociais, etc (se quiser saber mais… http://www.evoluinfo.net/blog-action-day-participe-voce-tambem/).

Na época estava iniciando o blog e achei que seria uma boa oportunidade de divulgação do blog e também um evento interessante. Entretanto a verdade foi perturbadora! Até o momento do evento eu não havia recebido nenhum SPAM nos comentários, porém após a realização do evento onde foi divulgado o blog os temidos spams começaram a aparecer dos mais remotos e improváveis lugares.

A quantidade foi aumentando até que um dia eu resolvi atacá-los e fiz o seguinte post para relatar meus planos:

Bom, o resultado foi que eu fiz uma manutenção instalando o askimet e também excluí manualmente alguns SPAMS (haviam mais de 25000!). Restaram alguns e eu segui em frente pois já estava cansado de excluir SPAMs.
Até que chegou o dia em que não aguentei mais! Os comentários de meus leitores não podiam ficar misturados a desprezíveis SPAMs. Então como minha formação é em tecnologia, claro, fui atrás de uma ferramenta que me desse acesso direto ao banco de dados do meu blog e nele eu poderia facilmente excluir TODOS os SPAMS de forma rápida e fácil!
Pesquisei alguns plugins e encontrei um que me caiu como uma luva e que se mostrou bastante bom chamado ADMINER (http://wordpress.org/extend/plugins/adminer/).
Com esta ferramenta consegui finalmente excluir todos os SPAMS e agora responder os comentários de meus leitores ficou muito mais fácil. Espero que de agora em diante eu responda mais rápido aos comentários por não ter tanto lixo para me preocupar.
Você tem um blog? Também passou ou passa por esta experiência? Deixe sua opinião! Gostaria de saber se o ADMINER foi útil para você também ou de que forma você eliminou os SPAMS.
Até a próxima!



Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como contratar talentos em TI

Nos últimos anos, principalmente nos 2 últimos, venho notando que as vagas de emprego para o setor de TI tem aumentado e o volume de candidatos qualificados vem diminuindo. Somente em SC temos tranquilamente mais de 2000 vagas abertas, esperando alguém qualificado para ocupá-la.

Pois bem, vamos refletir um pouco a respeito desta situação. Muito já foi dito a respeito das causas desta escassez e também sobre ações para reverter este quadro, vejamos algumas:

 

Reportagem do Jornal Nacional da Rede Globo a respeito do assunto:

Após analisar as informações acima e muitas outras, além de conviver quase que diariamente com o assunto, pois na empresa onde trabalho constantemente enfrentamos este tipo de problema, a crescente demanda de trabalho e a evolução lenta do quadro de pessoal qualificado, apto a “Dar conta do recado!”, chego às seguintes conclusões:

  1. A solução para o problema de falta de mão de obra não se revolverá no curto prazo;
  2. O foco das empresas deve ser em como “garimpar” entre os profissionais que ainda estão disponíveis no mercado, os melhores!

É justamente sobre a conclusão de número 2 que venho sugerir maneiras diferentes de seleção deste tipo de profissional.

Em primeiro lugar, falemos sobre o idioma. Na maioria dos casos na área de TI será exigido do candidato uma boa compreensão de uma língua estrangeira, de maneira generalizada o inglês e o espanhol. Para este quesito já fiz algumas sugestões neste post: Melhorando o currículo – Aprender um novo idioma pode ser mais fácil do que você pensa.

Mas como avaliar se um candidato sabe ou não uma língua estrangeira? Sugiro duas maneiras simples e que talvez consigam avaliar de forma clara se o candidato tem o nível apontado no currículo correspondente com a realidade.

  1. Conversar na língua que o candidato diz ter conhecimento. Frases curtas, um bate papo básico a respeito de coisas genéricas como o dia, um filme, um programa de TV, assuntos relacionados a profissão, etc. Nesta avaliação é possível identificar se o candidato consegue se expressar em uma língua estrangeira, isso já garante que este candidato possui um conhecimento no mínimo intermediário-avançado sobre a língua.
  2. Comprovar a habilidade de interpretação de textos. Fornecer ao candidato um texto específico da área onde vai atuar e outro genérico, e pedir que o candidato leia-os e ao final diga qual é o assunto dos textos, qual a principal questão do texto e quais as conclusões a que os textos possam ter chegado. Neste teste, caso o candidato venha a se sair bem, pode-se assumir que ele possui um bom nível intermediário da língua.

Seguindo nossa proposta para uma nova maneira de avaliação dos candidatos, vamos a uma segunda técnica que pode identificar de forma clara a capacidade do candidato, coisa que em um currículo, por mais claro e completo que seja, pode ser difícil de precisar.

A idéia é que o candidato exiba algum trabalho que tenha sido realizado por si. Pode ser um website, uma aplicação para celulares, um blog sobre o qual tem responsabilidade, um trabalho social de voluntariado, enfim, qualquer coisa prática que tenha sido realizada somente pelo candidato e que esteja em prática. Isso pode fornecer importantíssimas informações a respeito de um candidato e pode valer muito mais do que um currículo de 2 páginas cheio de especializações.

No final das contas o que realmente conta é o seu perfil psicológico, e imprescindível ter o perfil adequado para o trabalho, a capacidade de adaptação e o quanto você consegue produzir com qualidade. Isso é o que realmente importa, o resto deverá ser desenvolvido dentro da empresa, não há, a não se que seja um trabalho muito específico, como contratar um profissional que já saia produzindo igualmente a um profissional que já está a anos na casa.

Enfim, as duas ferramentas citadas acima, poderiam ajudar a encontrar a pessoa certa para o cargo certo e pouparia uma série de desgastes que podem ocorrer caso esta escolha não seja bem realizada.

Espero ter contribuído com minhas idéias para melhorar o processo e convido vocês, leitores, a discutir estas idéias e sugerir outras mais! Até a próxima!

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Melhorando o currículo – Aprender um novo idioma pode ser mais fácil do que você pensa!

Um dos itens indispensáveis em qualquer currículo, e talvez um dos mais confusos, é o que se refere aos idiomas que você domina ou conhece relativamente bem.

Saber se comunicar e expressar-se são capacidades essenciais para qualquer trabalhador hoje em dia. Por isso, em primeiro lugar, domine ou tenha um conhecimento avançado na sua língua materna, ou seja, o português. Tão importante ou mais que saber uma linha estrangeira é dominar o português falado e escrito, e olha que esta não é uma tarefa das mais fáceis. Tendo este primeiro objetivo alcançado, passemos para o próximo estágio.

O aprendizado de uma língua estrangeira sem dúvida pode lhe trazer muitos benefícios. Estes benefícios ultrapassam os limites corporativos. Entender uma outra língua significa abrir portas que até então estavam fechadas. Você passa a visitar lugares inexplorados e descobre o quão vasto é o mundo das informações, quanta cultura e aprendizado você pode incorporar e quão diferenciado você pode se tornar em termos profissionais.

 

Mas por onde começar? Qual língua devo aprender primeiro? Fazer um curso custa muito caro!


Bem, vamos por partes. Quando procuramos a resposta para: “Que idioma devo aprender primeiro?”, devemos levar em consideração algumas variáveis. A primeira é sem dúvida o grau de utilização deste idioma, ou seja, talvez não seja tão recomendado inicialmente se aprofundar em chinês mandarim, pois as suas possibilidades de negócio e obtenção de informação estariam um tanto quanto limitadas. Sugiro começar com a língua inglesa, que sem dúvida alguma é o idioma universal de fato escolhida pelo mundo inteiro. Em segundo lugar, leve em conta seus objetivos profissionais. Se você pensa em trabalhar, por exemplo, na área turística em uma cidade como Florianópolis em Santa Catarina que recebe no verão, em sua maioria, turistas sul americanos, seria prudente focar seu aprendizado no espanhol ao invés de se aprofundar no inglês em um primeiro momento.

Agora que já temos uma idéia de como selecionar nosso novo idioma para aprendizado, vamos discutir um pouco sobre as forma de aprendê-lo. Nem sempre é necessário gastar uma fortuna e anos para aprender uma nova língua. Digo isso porque nunca fiz curso de inglês e leio, escrevo e falo inglês razoavelmente bem a ponto de me comunicar com pessoas nativas destes idioma. É por isso que eu defendo a idéia de que há meios alternativos de se aprender uma língua. Vejamos algumas sugestões que para mim funcionaram muito bem em 3 áreas nas quais você terá que se sair bem:

 

1) Compreensão verbal: Quando for assistir a um filme, assista—o legendado, e preste atenção no som que você está ouvindo e o significado deste som em português. Se possível, repita algumas falas dos atores, não tenha vergonha, assim você vai fixando os conteúdos.

2) Compreensão escrita: Leia bastante. Mesmo que você não consiga compreender um texto inteiro no idioma de seu interesse leia-o. Destaque algumas palavras que você não conhece e procure seu significado. Seu objetivo é entender o contexto do texto e principalmente entender a idéia central, ou seja sobre o que o texto fala.

3) Compreensão gramatical: Procure material de cursinhos pré-vestibulares. Devido a necessidade de sintetizar e passar de forma correta o conteúdo aos alunos, existem muitos resumos interessantíssimos a respeito da gramática. Entenda os conceitos básicos, a correta colocação das palavras, a montagem das frases, etc.

 

Levando em consideração as dicas acima, tenho certeza que você poderá evoluir um pouco o seu conhecimento sobre o idioma desejado.

Dica importante: NÃO minta de jeito nenhum a respeito do seu nível de idioma no currículo, você pode se pego de surpresa pelo entrevistador! Seja honesto consigo e com a sua futura empresa, ou empresa atual, e com certeza o resultado será melhor! Mas como eu identifico se meu nível é básico, intermediário ou avançado? Bom, use o bom senso, mas leve em consideração para efeitos de comparação que de uma pessoa com nível intermediário em um idioma esperasse uma boa compreensão oral, uma boa capacidade de expressão verbal e boa capacidade de leitura e interpretação de textos. Mãos a obra e bons estudos!

Caso você coloque algumas das idéias acima em prática e tenha êxito, gostaria que compartilhasse conosco o seu sucesso, escreve para mim a sua história que eu publico aqui! Um grande abraço a todos.

 

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como calcular os juros da poupança

É bastante comum a pergunta de qual seria o valor de x reais aplicados na poupança no final de um ano. Ou quanto seria o total em um ano se fosse investido todo mês y reais na poupança. Enfim, há uma série de variantes para este tema mas a mais comum delas é a primeira citada acima.

Para facilitar o cálculo, que pode ser feito manualmente através de fórmulas matemáticas, existem diversas ferramentas na internet que realizam o trabalho pesado para nós. Abaixo, demonstro a utilização de uma delas com o objetivo de mostrar de que forma perguntas do gênero:

Tenho R$ 5000,00  na poupança. No final de um ano quanto dinheiro terei?

Vamos lá? Bons estudos e espero que o vídeo abaixo os auxilie.

Quer saber mais? Leia outros posts relacionados ao tema acima:

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Teste do Marshmallow – Uma nova visão

Há uns 2 anos e meio, publiquei um post que relacionava o teste do marshmallow com a maneira como as pessoas administram o dinheiro – leia o post aqui.

Pois, bem. De lá para cá, tenho visto este mesmo teste sendo citado em diversos contextos, mas nunca no contexto do humor, até o dia de hoje, quando vi em um blog os seguintes vídeos abaixo. Vejam e se divirtam, é bem interessante observar as reações das crianças e no último vídeo, dos adultos. Espero que gostem.

Primeiro a versão tecnológica, aplicada a uma propaganda:

Agora uma aplicação real de como o teste deve ser conduzido:

E finalmente a versão humorística do teste:

Divirtam-se!

Fonte: Inforsfera – clicRBS. Acessado em 01/03/2011

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Tesouro Direto: Dicas para iniciantes. Aprenda a investir!

O objetivo deste post é fazer com que ao final da leitura, você saiba responder 5 perguntas básicas e essenciais sobre o Tesouro Direto. Estas perguntas são as informações iniciais das quais todos devem ter conhecimento antes de começar a investir. Valor la?

1. O que são títulos públicos?

Resposta: São compromissos (dívidas) assumidas por parte dos governos Federal, Estadual ou Municipal, com a intenção de arrecadar fundos para o pagamento de dívidas contraídas ou investimentos em determinados programas e ações. Os compradores de títulos públicos tem garantidos o direito de que o governo irá recomprar o título em determinada data e irá pagar na data da recompra um juro de acordo com o tipo de título negociado. Isso, em troca do dinheiro investido pelo cidadão.

2. O que é o Tesouro Direto?

Resposta: É o mecanismo pelo qual, qualquer cidadão brasileiro pode adquirir (comprar) os títulos públicos. Para comprar títulos, é necessário que o cidadão esteja cadastrado em um agente de custódia, ou seja, uma entidade, que geralmente é um banco ou uma corretora de valores, que irá guardar o título comprado pelo cidadão. Não existe mais a emissão em papel de títulos, todos os comprados atualmente ficam guardados por um agente de custódia. Após habilitar-se em um agente de custódia – procedimento que pode exigir alguns documentos – , você receberá uma senha e poderá fazer a sua primeira compra. As compras são realizadas através do site http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/. Nele, você deverá informar o CPF e a senha cadastrada para poder realizar a compra.  A partir de R$ 200,00 já é possível investir no Tesouro Direto.

3. Existe alguma taxa?

Resposta: Sim. Existe uma taxa cobrada de custódia que é de 0,40% sobre o valor negociado ao ano. O pagamento do primeiro ano é feito no ato da compra. Se o investidor quiser restagar o título antes de completar um ano de investimento, este valor não será devolvido. Após o primeiro a taxa de custódia passa a ser proporcional ao prazo investido sendo abatida dos rendimentos e juros obtidos. Além desta taxa, os bancos e corretoras costumam cobrar uma taxa extra de serviço que geralmente fica em torno de 0,5%.

4. Existe cobrança de imposto de renda?

Resposta: Sim. A tributação é realizada na fonte sobre os rendimentos e segue as seguintes regras:

I – 22,5% (vinte e dois inteiros e cinco décimos por cento), em aplicações com prazo de até 180 (cento e oitenta) dias;
II – 20% (vinte por cento), em aplicações com prazo de 181 (cento e oitenta e um) dias até 360 (trezentos e sessenta) dias;
III – 17,5% (dezessete inteiros e cinco décimos por cento), em aplicações com prazo de 361 (trezentos e sessenta e um) dias até 720 (setecentos e vinte) dias;
IV - 15% (quinze por cento), em aplicações com prazo acima de 720 (setecentos e vinte) dias.

Bom, é isso. Espero ter esclarecido um pouco a respeito desta modalidade de investimento. Quem quiser entender melhor como funciona no Tesouro Direto, acesse o site http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/. Lá você irá encontrar todas as informações necessárias, simulações, cartilhas, cursos, enfim, é um site muito bem estruturado e com todas as informações necessárias para a compra e venda de títulos do governo. Boa leitura!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

A equação fundamental das finanças pessoais

Equação fundamental das finanças

Mais do que matemática, uma boa saúde financeira exige equilíbrio emocional. Existe uma fórmula mágica que pode levar qualquer um, seja em que situação estiver, a se equilibrar financeiramente e conseguir iniciar ou dar continuidade à um plano ou idéia de saúde financeira. Como sempre busco ajudar aos leitores, segue a fórmula mágica:

 

Saúde Financeira = O que você ganha – O que você gasta

 

Decepcionado? Essa você já sabia? Pois bem. Por mais simples e óbvio que possa parecer, esse é o segredo para se alcançar o equilíbrio financeiro. Se o que você gasta mais no mês do que ganha, você está com uma má saúde financeira e precisa se exercitar!

No momento em que essa fórmula se tornar constante na sua vida financeira você estará equilibrado e seguro e se sentirá motivado e capaz de se aventurar por outros caminhos, é claro sempre tendo como base a regra de ouro. Alcançar essa constante pode não ser uma tarefa muito fácil para muitos. Mas pensemos juntos no caminho ideal (metas) a se seguir para alcançar esse estado:

  1. Torne-se consciente do quando você ganha e do quanto você gasta.
    O primeiro passo para conseguir aplicar a fórmula nas suas finanças é sem dúvida se tornar consciente do quando você granha e do quanto você gasta, camos chamar esses dois ingrediente de “componentes da equação da saúde financeira”. Isso tem muito a ver com a parte psicológica da pessoa, que muitas vezes, nem por culpa sua, se sente tentada a consumir de forma inconsciente (em relação à saúde financeira).
    Ao obter os dois componentes você poderá trabalhá-los a fim de chegar a um resultado positivo.
  2. Analise os componentes e veja onde você pode melhorar
    Não basta somente identificar os componentes da fórmula, é necessário estudá-los a fim de se chegar a maneiras de aumentar o primeiro (o quando você ganha) e diminuir o segundo (o quando você gasta).
  3. Colocar em prática um plano para sair do vermelho e alcançar a saúde financeira
    É muito importante que após identificadas as estratégias de como ganhar mais e como gastar menos, estas sejam colocadas em prática até que o seu objetivo seja atingido.
  4. Após atingir a saúde financeira, planeje os próximos passos
    Após atingir a saúde financeira, ou seja, ganhar mais e gastar menos, pense nos próximos passos que o levem a garantir ainda mais essa saúde, pois imprevistos podem acontecer.

 

Mas e como colocar isso tudo em prática? Por onde devo começar?

Há muitas maneiras de fazer isso. A mais fácil é pesquisar bastante na internet. Você vai encontrar muito material bom sobre o assunto.

Você sabia que em breve eu vou lançar um livro a respeito deste assunto? Veja detalhes aqui: http://jcfausto.com/como-escrever-um-ebook-em-30-dias-dias-3-e-4/

Até a próxima!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Novas regras da poupança. Veja as principais mudanças.

        A partir de janeiro de 2010 a caderneta de poupança ganha novas regras. A principal delas, é a cobrança de imposto de renda sobre os rendimentos. Entender como funciona a questão de tributação no Brasil é uma coisa complicada. Segundo, José Dutra Vieira Sobrinho, professor e matemático que fez uma simulação dos rendimentos da poupança no segundo link no final deste post: “O povo não vai entender nunca como é tributada a poupança, a única coisa que ficará é a cobrança de imposto para quem tem mais de R$ 50 mil. Mas em tributação no Brasil, nunca se faz nada para simplificar, sempre para complicar”. Discordo com a primeira parte do pensamento do professor, e acho que o povo brasileiro é capaz de entender sim como funcionará a tributação, desde que tenha interesse e estude, entretanto concordo plenamente com a segunda parte da opinião do professor: As coisas podiam ser mais simples.

veja abaixo como funcionará a cobrança do imposto na caderneta de poupança:

        Atualmente os valores investidos na poupança são isentos de cobrança de imposto de renda. Com a nova regra, valores superiores a R$ 50.000,00 estarão sujeitos à tributação do imposto de renda. Valores abaixo deste teto continuam isentos.
        A tributação, quando aplicável, será cobrada sobre o rendimento mensal gerado, sendo que será levado em conta somente os 0,5% de rendimento como base para a cobrança, ficando o rendimento extrar atribuído à TR isento da tributação. Ainda haverá um abatimento de R$ 250,00 que será descontado o valor do imposto, para que o valor exato de R$ 50.000,00 fique isento. O goverdo estua uma tabela progressiva de tributação para beneficiar os poupadores, que quanto mais tempo deixarem o seu dinheiro na poupança, menos tributação terão. Essa medida visa também afastar os especuladores que podem querer migrar para a poupança em função da tributação menor.

        Mas por que mudar as regras? Bom, a economia brasileira tem se mostrado estável nos últimos anos. Com a queda constante na taxa de juros, a poupança tem sido beneficiada, apresentando rendimentos superiores a muitos fundos de investimentos de renda fixa por exemplo, justamente em função da isenção de tributação de imposto de renda e da não cobrança de taxa de administração. Na minha opinião, como o governo tem que sair ganhando em tudo, obviamente se viu tentado a buscar recursos nessa modalidade de aplicação que tem crescido muinto entre os brasileiros. A forma mais agradável de se obter um pouco mais de vantagem sobre o cidadão brasileiro foi alterar as regras da poupança, que a partir de agora, além de servir de origem de recursos para diversos programas do governo, servirá também de fonte extra de recursos em função da tributação. Cabe salientar, que o pequeno poupador, não sofrerá qualquer ônus em função dessas novas medidas, mas as pessoas que optavam por deixar todas as suas economias na poupança, e isso em uma famíla possivelmente ultrapassasse os 50,000.00 reais terão uma certa diminuição nos rendimentos. Em contrapartida, o governo acertou em um ponto. Os grandes investidores, também conhecidos como especuladores, passam a não se benecificar mais da poupança, pois agora terão que pagar imposto.

A opinião emitida acima é pessoal e expressa a minha visão em relação ao assunto. Leitor, avalie e tire suas próprias conclusões.

        Para quem tiver maior curiosidade e quiser se aprofundar no assunto, sugiro a leitura de dois textos publicados na internet que explicam bem o que irá acontecer.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS